• .

  • .

  • .

  • .

CANTIGAS

Paranauê

Vou dizer minha mulher, Paraná. Capoeira me venceu, Paraná.
Paranauê, Paranauê, Paraná.
Eu aqui não sou feliz, Paraná. Mas na minha terra eu sou, Paraná.
Paranauê, Paranauê, Paraná. 
Vou embora pra Bahia, Paraná. Porque lá é meu lugar, Paraná.
Paranauê, Paranauê, Paraná.
Tem a festa do Bonfim, Paraná. E o Mercado Popular, Paraná.
Paranauê, Paranauê, Paraná.
Lá no céu tem três estrelas, Paraná. Todas três de carreirinha, Paraná.
Paranauê, Paranauê, Paraná. 
Uma é minha a outra é tua, Paraná. E a outra vai sozinha, Paraná.
Paranauê, Paranauê, Paraná.
A mulher pra ser bonita, Paraná. Não precisa se pintar, Paraná. 
Paranauê, Paranauê, Paraná.
A pintura é do diabo, Paraná. E a beleza é Deus quem dá, Paraná.


Marinheiro só

Eu não sou daqui. 

Marinheiro só. 
Eu não tenho amor.

Marinheiro só. 
Eu sou da Bahia. 

Marinheiro só. 
De São Salvador.

Marinheiro só. 
O marinheiro, marinheiro.

Marinheiro só. 
Quem te ensinou a navegar.

Marinheiro só. 
Ou foi o tombo do navio.

Marinheiro só. 
Ou foi o balanço do mar.

Marinheiro só. 
O marinheiro, marinheiro.

Marinheiro só. 
Quem te ensinou a mandingar.

Marinheiro só. 
Eu aprendi foi com meu mestre.

Marinheiro só. 
Que aprendeu com Pastinha.

Marinheiro só. 
Lá vem, lá vem. 

Marinheiro só. 
Como ele vem faceiro.

Marinheiro só. 
Todo de branco. 

Marinheiro só. 
Com seu bonezinho.

Marinheiro só. 


Ai, ai, aidê

Ai, ai, aidê.
Joga bonito, que eu quero aprender

Ai, ai, aidê. 
Joga bonito, que o povo quer ver.

Ai, ai, aidê.

Mas joga bonito que eu quero aprender.

Ai, ai, aidê.

Grupo Olojo eu cantei pra você.

Ai, ai, aidê.

Joga bonito que o mestre quer ver.

Ai, ai, aidê.

Aidê, Aidê, Aidê, Aidê.

Dim, dim, dim, lá vai viola

Dim, dim, dim, lá vai viola.

Segura esse jogo, por Nossa Senhora.

Dim, Dim, dim, lá vai viola.

Viola meu Deus, viola.

Dim, Dim, dim, lá vai viola.

Esse jogo é de dentro, esse jogo é de angola.

Dim, Dim, dim, lá vai viola.
Valha meu Deus, e minha nossa senhora. 

Dim, Dim, Dim, lá vai viola.
Le, Le, lá vai viola. 

Dim, Dim, Dim, lá vai viola.
Olha joga menino, esse jogo é de angola. 

Dim, Dim, Dim, lá vai viola.
Olha santa mandinga, mandinga é de angola.

Dim, Dim, Dim, lá vai viola.
Oi não tem siriri, e não tem cai fora. 

Dim, Dim, Dim, lá vai viola.
Esse jogo é embaixo, esse jogo é de angola.

Dim, Dim, Dim, lá vai viola.


Sai, sai, Catarina

Sai, sai, sai Catarina.

Olha saia do mar, venha ver Idalina. 

Sai, sai, sai Catarina.
Olha saia do mar venha ver Catarina. 

Sai, sai, sai, Catarina.

Catarina minha nega

Catarina minha nega. Catarina minha nega.
Tanto tempo eu não lhe vejo.

Foi lá no poço pegar água, pra preparar um caranguejo.

Água no poço, sinhá.

Catarina.

Água no poço, sinhá.

Catarina.

Camugerê

Camugerê, como vai, como tá?

Camugerê.
Como vai vosmicê?

Camugerê!
E vai bem de saúde?

Camugerê!
Para mim é um prazer.

Camugerê!

Besouro

Eh, besouro

Cordão de ouro.

Ah, besouro.

Cordão de ouro.

 

Meu besouro voou. Pega esse besouro.

Meu besouro voou. Pega esse besouro.

E, e, e, ah! Meu besouro acabou de voar.

E, e, e, ah! Foi-se embora, foi pro Paraná.

 

Besouro êê.

Besouro ah.

Besouro preto.

Besouro de mangangá.


Vou dizer a meu sinhô. Que a manteiga derramou

Vou dizer a meu sinhô. Que a manteiga derramou.
E a manteiga não é minha, a manteiga é de ioiô.
Vou dizer a meu sinhô. Que a manteiga derramou. 
E a manteiga é do patrão, caiu no chão e derramou.
Vou dizer a meu sinhô. Que a manteiga derramou.
A manteiga não é minha. É pra filha de ioiô. 

Tamanduá

Tamanduá, como vai coroa?

Tamanduá, como vai coroa?

Tamanduá, como vai coroa?

Olha Tamanduá.

Como vai coroa?

São Bento me chama

São Bento me chama.
Ai, ai, ai, ai. 

São Bento me quer.

Ai, ai, ai, ai. 

Pra jogar capoeira

Ai, ai, ai, ai. 

Ô, São Bento me chama.
Ai, ai, ai, ai. 

Joga ligeiro menino.

 Ai, ai, ai, ai. 

Se ele te pega de cheio.
Ai, ai, ai, ai. 

Ele te bota no chão.
Ai, ai, ai, ai.

ê, capoeira de angola.
Ai, ai, ai, ai. 

ê, um aperto de mão.
Ai, ai, ai, ai. 

ê, solta a mandinga menino.
Ai, ai, ai, ai.

ê, se enrosca no chão.
Ai, ai, ai, ai. 


Abalou Capoeira, Abalou

Abalou capoeira, abalou.

Mas se abalou deixa abalar.
Abalou capoeira, abalou.

Abalou, ê. Abalou ah.

A Canoa Virou

A canoa virou marinheiro.

Ê, no fundo do mar tem dinheiro. 
A canoa virou marinheiro.

La no fundo do mar tem segredo. 

Capoeira de São Salvador


Ô, meu mano. O que foi que aconteceu?

Eu vi capoeira matando. Também vi maculelê.

Capoeira !
É jogo praticado na terra de São Salvador.
Capoeira !
É jogo praticado na terra de São Salvador.
Mas sou discípulo que aprende.

E o mestre quem dá lição.

Na roda de capoeira nunca dei meu golpe em vão.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.

Manuel dos Reis Machado, ele é fenomenal.

Ele é o Mestre Bimba, criador da Regional.

Capoeira!
É jogo praticado na terra de São Salvador.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.

E capoeira é luta nossa.

Da era colonial.

E nasceu foi na Bahia, Angola e Regional.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.
No dia que eu amanheço.

Danado da minha vida.

Planto cana descascada. 
Com seis dias tá nascida.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.
É jogo de liberdade.

Jogo de libertação.

Praticado na Senzala. 
No tempo da escravidão.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.
Capoeira!

É jogo praticado na terra de São Salvador.

Chora Capoeira, Capoeira Chora

Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira Mestre Bimba foi embora.
Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira, Mestre Bimba foi embora.
Mestre Bimba foi embora.

Por favor, tire o chapéu.

Mas não vá chorar agora. 
Mestre Bimba foi pro céu.
Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira, Mestre Bimba foi embora.
E Chora.
Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira, Mestre Bimba foi embora.
Mestre Bimba foi embora.

Mas deixou jogo bonito.

Deve estar jogando agora. 
Numa roda do infinito.
E Chora. 
Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira, Mestre Bimba foi embora.
E Chora.
Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira, Mestre Bimba foi embora.
Mestre Bimba foi embora. Não teve choro e nem mistério. 
O berimbau tocou sereno. Na porta do cemitério.
E Chora.
Chora capoeira, capoeira chora. Chora capoeira, Mestre Bimba foi embora.

Cobra Malvada

Queria ir, mas agora não vou mais.

Queria ir, mas agora não vou mais.
No caminho apareceu, duas cobras de Corais.

Essa cobra me morde.
Sinhô São Bento.
Ela vai me morder.
Sinhô São Bento.
Ela é venenosa.
Sinhô São Bento.
Ela é perigosa.
Sinhô São Bento.
Ela vai te pegar.

Sinhô São Bento.

Que cobra malvada.

Sinhô São Bento.

O veneno da cobra.

Sinhô São Bento. 
Ela vai te matar.

Sinhô São Bento.


Canarinho d'Alemanha

Canarinho d'Alemanha. Quem matou meu curió? 
Eu jogo capoeira. Da Bahia a Maceió.

Canarinho d'Alemanha. Quem matou meu curió? 

Na roda da capoeira. Mestre Bimba é o maior, êê.
Canarinho d'Alemanha. Quem matou meu curió? 

Na roda da capoeira. Quero ver quem é o melhor, êê.

Canarinho d'Alemanha. Quem matou meu curió? 

No jogo da capoeira, o meu mestre é o melhor, êê.

Iaiá, Ioiô

Iaiá, ioiô. (2x)

Ô, menino com quem tu aprendeu? (2x)

Aprendeu, a jogar capoeira aprendeu. (2x)

Quem te ensinou já morreu. (2x)

E o seu nome está gravado. Na terra onde ele nasceu. 
Salve São Salvador, Salve a Ilha de Maré. Salve o mestre quem me ensinou. 
A mandinga de bater com pé. De Iaiá, de Ioiô.

Iaiá, ioiô. (2x)

Mandingueiro, cheio de malevolência. Era ligeiro o meu mestre.
E jogava conforme a cadência do bater do berimbau. 
Salve o Mestre Bimba, criador da regional. De Iaiá, de Ioiô.

Iaiá, ioiô. (2x)


Cruz credo, Ave Maria

Cruz credo, Ave Maria.

Eu cantava na roda e ninguém respondia.
Cruz credo, Ave Maria.
Essa roda é de mudo e eu não sabia.

Cruz credo, Ave Maria.
Eu cantava, berrava e ninguém respondia.

Cruz credo, Ave Maria.
Todo mundo é surdo, e eu não sabia.

 

Capoeira que vem da Bahia

Capoeira que vem da Bahia.

Da cidade de São Salvador.
Hoje eu mando um abraço pra ela.

E digo pro meu amor.

O biriba é pau, é pau.

Pra fazer berimbau, é pau, é pau.

 

Capoeira que tu me ensinou.

O dinheiro não pode pagar.

Capoeira é luta nossa.

Nem tem hora pra jogar.

 

O biriba é pau, é pau.

Pra fazer berimbau, é pau, é pau.

 

Capoeira é no pau, é no pé, é na mão

É na ponta da faca, é no facão

Capoeira é no pau, é no pé, é na mão

É na ponta da faca, é no facão

 

O biriba é pau, é pau.

Pra fazer berimbau, é pau, é pau.

 

Tico-tico canta no mato, sabiá na laranjeira.

Nunca vi roda de samba, ô Iaiá, sem jogo de capoeira.

 

O biriba é pau, é pau.

Pra fazer berimbau, é pau, é pau

Pererê

Pererê pula no mato.
Sabiá na laranjeira.
Quero ver pular na roda.
E mostrar que é capoeira.

Pula ê pula lá.
Capoeira não pode parar.

Pula ê pula lá.
Capoeira não pode parar.

Pula ê pula lá.

Olha pula seu moço do jeito que dá.
Capoeira não pode parar.
Olha pula pra ali, olha pula pra cá.
Capoeira não pode parar.

Cajuê

Ê, mandalecô.

Cajuê.

Ê, manda loiá.

Cajuê.

Ê, Mestre Bimba.

Cajuê.

Ê, seu Pastinha.

Cajuê.

Ô, seu Traíra.

Cajuê.

Cobrinha Verde.

Cajuê.

Seu Canjiquinha.

Cajuê.

Mestre Gigante.

Cajuê.

Ezequiel.

Cajuê.

Seu Caiçara.

Cajuê.

Ê, seu Najé.

Cajuê.

Ô lecô.

Cajuê.

Ah loiá.

Angola, ê, ê, ê

Angola, ê, ê, ê. Angola, Ah, Ah, Ah.
O berimbau está me chamando.

Eu vou jogar.

Angola ê. Angola ê.

Vai você, como vai você

Vai você, como vai você?

Dona Maria, como vai você?

Como vai?

Como passou?

Como vai vosmicê?

Dona Maria, como vai você?

Joga bonito que eu quero aprender.

Dona Maria, como vai você?

Adão

Adão, adão.

Ô, cadê Salomé, Adão?

Ô, cadê Salomé, Adão?

Foi pra ilha de maré.

Adão, adão.

Ô, cadê Salomé, Adão?

Ô, cadê Salomé, Adão?

Salomé foi passear.


É de manhã

É de manhã.
Idalina ta me chamando.
Idalina tem o costume.
De chamar e depois sair andando.

É de manhã.
Idalina ta me chamando.

Idalina meu amor.
Idalina tá me esperando.

Oi, sim, sim, sim

Oi, sim sim sim, Oi não não não
Oi, sim sim sim, Oi não não não
Mas hoje tem, amanhã não
Mas hoje tem, amanhã não tem não
Oi, sim sim sim, Oi não não não
Olha a pisada de Lampião

Olha a pisada de Lampião
Oi, sim sim sim, Oi não não não

Me dá meu dinheiro

O me dá meu dinheiro.
O me dá meu dinheiro valentão.
O me dá meu dinheiro valentão.
Se não eu te pego.
E te jogo no chão.

O me dá meu dinheiro.
O me dá meu dinheiro valentão.
O me dá meu dinheiro valentão.
Que eu te dou uma rasteira.
E te jogo no chão.

O me dá meu dinheiro.
O me dá meu dinheiro valentão.
O me dá meu dinheiro valentão.
Que no meu dinheiro.
Ninguém põe a mão.

O me dá meu dinheiro.
O me dá meu dinheiro valentão.
O me dá meu dinheiro valentão.
Se não eu te pego.
E te jogo no chão.


Caiman

Onde vai caiman?
Caiman, caiman

Onde vai caiman?
Vai pra ilha de maré

Onde vai caiman?
Caiman, caiman

Onde vai caiman?
Lagoa do Abaeté

Facão bateu embaixo

O facão bateu embaixo.
A bananeira caiu.
O facão bateu embaixo, eu falei.

A bananeira caiu.
Cai cai bananeira.
A bananeira caiu.
Cai cai capoeira.
A bananeira caiu.

O que é um berimbau

O que é um berimbau?
Uma cabaça, um arame e um pedaço de pau
O que é um berimbau?
Uma cabaça, um arame e um pedaço de pau

Chora menino

Ê chora menino

Nhem, nhem, nhem
O menino chorou
Nhem, nhem, nhem
Cala a boca menino
Nhem, nhem, nhem
Foi porque não mamou
Nhem, nhem, nhem
Ê, mas chora menino

Nhem, nhem, nhem
O menino chorou
Nhem, nhem, nhem
Foi porque apanhou

Nhem, nhem, nhem

Moleque é tu

Mas é tu que é moleque.

Moleque é tu.

Me chamou de moleque.

Moleque é tu.

Que moleque atrevido.

Moleque é tu.

Mas é tu que é moleque.

Moleque é tu.

Que moleque danado.

Moleque é tu.

Que moleque ligeiro.

Moleque é tu.

Eu te boto no chão.

Moloque é tu.

Devagar, devagarinho

Devagar, devagarinho.

Devagar bem de mansinho.

Devagar, devagarinho.

O mestre mandou jogar bem de mansinho.

Devagar, devagarinho.

Jogo de Angola é devagar.

 

Me leva morena, me leva

O leva morena me leva.

O me leva pro seu bangalô.

 

O me leva morena me leva.

Que eu sou capoeira de São Salvador.

O me leva.

 

O leva morena me leva.

O me leva pro seu bangalô.

 

O me leva morena me leva.

Que hoje faz frio amanhã faz calor.

 

O leva morena me leva.

O me leva pro seu bangalô.

 

O leva morena me leva.

Me faz um denguinho.

Me chama que eu vou.

O me leva.

 

O leva morena me leva.

O me leva pro seu bangalô.

 

Morena bandida.

Com o seu jeitinho.

De fazer amor.

O me leva.

 

O leva morena me leva.

O me leva pro seu bangalô.

 

O leva morena, me leva.

Que eu sou capoeira.

Já disse que sou.

 

Capoeira, capu

Quando meu filho nascer.

Olha, eu vou perguntar pra parteira.

O que é que meu filho vai ser.

O meu filho vai ser capoeira.

Capoeira, capu.

Maculelê, maracatu.

Mas não é Karatê.

Nem também Kung-Fu.

Maculelê, maracatu.

Eu vim pra Bahia.

Comer caruru.

Maculelê, maracatu.

 

Capoeira é Beleza

Capoeira não sai da minha cabeça

Capoeira não sai do coração

Capoeira quem joga é mandingueiro

Capoeira é jogo de irmão

 

Capoeira

Eee...beleza

Capoeira

Eee...tradição

Capoeira

Tem fundamento

Capoeira

E vibração

 

Capoeira nasceu foi no quilombo

E sofrimento da senzala

O nego cantava ladainha

Enquanto a cana era cortada

 

Capoeira

Eee...beleza

Capoeira

Eee...tradição

Capoeira

Tem fundamento

Capoeira

E vibração

 

Na roda da capoeira

Se pode matar ou morrer

Mas também se joga limpo

O que é bonito de se ver

 

Capoeira

Eee...beleza

Capoeira

Eee...tradição

Capoeira

Tem fundamento

Capoeira

E vibração

 

E pra ser bom capoeira

Não basta ter só aptidão

Tem que se entregar de alma

E cantar também com o coração

 

Capoeira

Eee...beleza

Capoeira

Eee...tradição

Capoeira

Tem fundamento

Capoeira

E vibração

 

Luanda ê

Luanda ê pandeiro.

Ê, Luanda ê Pará.

Teresa samba sentada.

Ê, Idalina samba de pé.

Ê, lá no cais da Bahia.

Na roda de capoeira.

Não tem lê lê, não tem lá, ô.

Não tem lê lê, nem lá lá.

 

O, lá ê, lá ê, lá.

Ô lê lê.

 

Lê lê, lá lá lá.

Ô lê lê.

 

Ô, lá lá ê lá.

Lá lá ê, lá lá ê lá.

 

O lá lá ê lá.

Lá lá ê, lá lá ê lá

 

O lê, lê.

Lá lá ê lá.

 

O lá ê.

Lá lá ê lá.

 

Santo Antonio é protetor

Santo Antonio é protetor.

Da barquinha de Noé.

Santo Antonio é protetor.

Da barquinha de Noé.

Santo Antonio é protetor.

Protetor da capoeira.

Santo Antonio é protetor.

Protetor do berimbau.

Vim da Bahia pra lhe ver

Vim da Bahia pra lhe ver. (Ô Bahia)

Vim da Bahia pra lhe ver.

Vim da Bahia pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver.

Pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver.

Pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver, pra lhe ver.

 

Quem vem lá sou eu

Quem vem lá sou eu

Quem vem lá sou eu

Berimbau bateu

Capoeira sou eu

 

Eu venho de longe

Venho da Bahia

Jogo capoeira

De noite e de dia

 

Quem vem lá sou eu

Quem vem lá sou eu

Berimbau bateu

Capoeira sou eu

 

Mas sou eu sou eu

Quem vem lá

E sou eu Benvenuto

Quem vem lá

Montado a cavalo

Quem vem lá

Vem fumando charuto

Quem vem lá

E com chapéu de palha

Quem vem lá

 

O menino é bom

O menino é bom.

Bate palma pra ele

Mas o menino é bom

Bate palma pra ele

Ele sabe cantar

Bate palma pra ele

Ele é mandingueiro

Bate palma pra ele

           

Boa Viagem

Adeus, Adeus. 

Boa Viagem.
Eu vou-me embora.

Boa Viagem.
Eu vou com Deus. 

Boa Viagem.
Com nossa Senhora. 

Boa Viagem.
Eu vou, eu vou. 

Boa Viagem. 
Pois chegou a hora. 

Boa Viagem.

f t g
Direitos Reservados © 2019 olojo.com.br - Olojo Capoeira