• .

  • .

  • .

  • .

CURIOSIDADES SOBRE CAPOEIRA

Período de Repressão

  • Decretado por marechal Deodoro da Fonseca o Decreto Lei 487 dizia que: A partir de 11 de Outubro de 1890 todo capoeira pego em flagrante seria desterrado para a Ilha de Fernando de Noronha por um período de dois a seis meses de prisão. Parágrafo Único: É considerado circunstância agravante pertencer o capoeirista, a alguma banda ou malta, aos chefes impor-se-á a pena em dobro.
  • Os capoeiristas costumavam usar calças boca de sino e no perí­odo em que a capoeira ficou proibida por lei (1890-1937) a polí­cia, para detectar os capoeiristas, colocava um limão dentro das calças do indivíduo. Se o limão saísse pela boca das calças, a pessoa era considerada capoeirista.
  • Em 1824, os escravos que fossem pegos praticando capoeira recebiam trezentas chibatadas e eram enviados para a Ilha das Cobras para realizar trabalhos forçados durante três meses.

 

Dia do Capoeirista

  • 3 de agosto - Dia do capoeirista instituído por uma lei estadual de São Paulo de 1985.

 

Curiosidades

  • As primeiras Mestras de Capoeira Angola surgem somente no início do século XXI.
  • Mestre Pastinha começou a treinar capoeira por intermédio de um africano que o viu apanhar de um rival em sua infância.
  • Mesmo depois de perder a visão Mestre Pastinha era temido por quem estava jogando com ele.
  • Foi Mestre Pastinha que falou a famosa frase "A capoeira é Mandinga, é manha, é malícia, é tudo o que a boca come"
  • Dos 50 golpes bem aplicados da capoeira que Mestre Bimba ensinou 22 eram mortais.
  • Em 1930, o famoso karatê não era conhecido na Bahia.
  • Mestre Bimba teve sua primeira escola de capoeira Angola, em 1918 com apenas 18 anos, obtendo apenas em 1937 o alvará da Academia de Capoeira Regional.
  • Segundo Mestre Noronha, o berimbau em seu tempo, era uma arma maligna e mortal. A verga (o pau do berimbau) era usada como cassetete e a varinha servia para furar os olhos do adversário que tivesse má conduta na época em que a capoeira era proibida.
  • Segundo Luis Edmundo, nos fins do século XVIII, no Rio de Janeiro, as aventuras dos capoeiristas eram de tal jeito que o governo, através da portaria de 31 de outubro de 1821, estabeleceu castigos corporais e outras medidas de repressão a pratica de capoeira.
  • Na Bahia, de acordo com Manuel Quirino, os capoeiristas se distinguiam dos demais negros porque usavam uma argolinha de ouro na orelha, como insígnia de força e valentia, e o nunca esquecido chapéu à  banda.
  • Os capoeiristas eram contratados pelos políticos para bagunçar no dia das eleições. Enquanto as pessoas desviavam a atenção para a confusão dos capoeiristas um indivíduo colocava um maço de chapas na urna ou na linguagem da época "emprenhava a urna". Vencia as eleições o candidato que dispunha de maior número de capoeiristas.
  • Milhares de capoeiristas foram para a Guerra do Paraguai, pois havia sido prometida a liberdade no final do conflito àqueles que participassem da batalha.
  • Antes do arame, o "fio" do berimbau era feito de tripas de animais.
f t g
Direitos Reservados © 2019 olojo.com.br - Olojo Capoeira